POPULAÇÃO DENUNCIA FALTA DE ÁGUA CONSTANTE EM QUIXADÁ

Moradores de Quixadá, no Sertão Central, denunciam a falta constante de água nas casas. Segundo a população, o problema é histórico no município e alguns bairros passam até 10 dias sem receber água. Os problemas teriam sido causados pela quebra da adutora que bombeia água do açude Pedra Branca para Quixadá.

Entre os locais mais afetados estão os bairros Herval, Campo Velho, Campo Novo e da Rodoviária. Em 2008, foi lançado edital de licitação para contratação da empresa que construiria a nova adutora. Segundo o correspondente Herley Nunes, nenhuma empresa se habilitou.

Em contato com a redação do Alerta Geral, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) informou, através de nota, que “precisou suspender a captação de água do açude Cedro, em Quixadá, porque o manancial apresentou queda significativa de qualidade de sua água bruta”. A assessoria de comunicação da empresa também afirmou que realiza manobra (parte da cidade fica abastecida, a outra tem abastecimento suspenso) para suprir a demanda. Ainda segundo a Cagece, em breve nova adutora será construída.

Confira a nota enviada, na íntegra:

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) precisou suspender a captação de água do açude Cedro, em Quixadá, porque o manancial apresentou queda significativa de qualidade de sua água bruta, o que poderia comprometer a qualidade da água tratada e distribuída pela Companhia. Para evitar qualquer risco à saúde da população de Quixadá, a Cagece passou a abastecer a cidade somente pelo açude Pedra Branca.

Com o aumento do consumo de água no segundo semestre do ano, o abastecimento na sede do município de Quixadá passou a ser realizado por manobra (quando uma parte da cidade tem o abastecimento suspenso enquanto outra área tem seus reservatórios abastecidos). Para aumentar a oferta de água na cidade, a Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH) está construindo uma adutora que irá levar mais água do açude Pedra Branca à sede do município.


Fonte: Ceará Agora

0 comentários:

Postar um comentário